Author: Alexandre Neves

Bacen divulga regulação das Fintechs (SCD e SEP) e permite a aquisição de recebíveis em plataforma eletrônica. Comentários – Parte I

Publicada na data de ontem, a Res 4.656/2018 dispõe sobre a Sociedade de Crédito Direto e Sociedade de Empréstimo entre Pessoas, duas novas Instituições Financeiras que existirão somente em ambiente digital (plataforma). Faremos uma explanação em 4 partes, para que não fique por demais longo o texto, falando primeiro sobre a Sociedade de Crédito Direito. […]

Continue a ler

Quantos tipos de securitização existem, e qual é a nossa modalidade?

A atividade de securitização no Brasil compreende 4 modalidades, a saber: 1.Companhias Securitizadoras de Créditos Financeiros: Objeto exclusivo: aquisição e securitização de créditos financeiros: no art. 1º da Resolução BACEN nº 2.686 – 26/01/2000, quais sejam: “créditos oriundos de operações praticadas por bancos, sociedades de crédito financiamento e investimento, associações de poupança e empréstimo e […]

Continue a ler

Dia 26 o CMN promete a regulação das fintechs SCD e SEP. E de depois, o que acontece?

Dia 26 o CMN promete a regulação das fintechs SCD e SEP. E de depois, o que acontece?

A promessa veiculada é que o Conselho Monetário Nacional irá publicar a regulação sobre as fintechs Sociedade de Crédito Direito e a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas. Pois bem, no dia seguinte já poderemos encaminhar Sumários Executivos?

Continue a ler

Duplicata digital x digitalizada: como funciona?

Duplicata digital x digitalizada: como funciona?

No artigo, demonstramos o conceito de documento digitalizado e documento digital. O primeiro passo é compreender que a digitalização é o processo pelo qual uma imagem ou sinal analógico é transformado em código digital por meio de dispositivo apropriado (scanner), ou seja, um documento digitalizado é uma imagem do documento analógico (físico) que foi scanneado. […]

Continue a ler

Como enfrentar a recuperação judicial das empresas?

Com o Advento da crise em 2015, o número de empresas que usaram o recurso da Recuperação Judicial (simplesmente chamada de RJ) aumentou consideravelmente, com números expressivos.

Somente em 2016, de janeiro a julho foram 1.098 novos pedidos de RJ no Brasil, além de 1.058 requerimentos de falência no mesmo período, números nunca vistos e que, possivelmente, seguirão aumentando até o final da crise, sendo importante alertar: a cada empresa grande que toma a medida, tantas outras arroladas na RJ acabam por ter que seguir pelo mesmo caminho, num verdadeiro “efeito dominó”.

Continue a ler

A polêmica dos restritivos de crédito e a atuação do SINFAC-SP, para a regulamentação – Lei paulista e cadastro positivo

O mercado de recebíveis está extremamente prejudicado pela notória dificuldade imposta pela Lei Paulista que determina que o devedor deve ser comunicado por escrito.

Continue a ler

Você olha o mercado do cedente, tem feeling ou acredita incondicionalmente nas confirmações?

Você olha o mercado do cedente, tem feeling ou acredita incondicionalmente nas confirmações?

Porque na maioria das fraudes a confirmação dada pelo sacado está lá, contribuindo para a aparência da operação mais perfeita e acabada do mundo?

Continue a ler

Jurisprudência de setor

Com o crescimento do setor e a oportuna qualificação da representatividade, o Judiciário começa a dar sinais de compreensão clara da atividade e seus detalhes.

Continue a ler

PALESTRA EM PIRACICABA ESCLARECE MECANISMOS DE DUPLICATAS VIRTUAIS E NF-E

PALESTRA EM PIRACICABA ESCLARECE MECANISMOS DE DUPLICATAS VIRTUAIS E NF-E

A forte presença de empresários e colaboradores das sociedades de fomento comercial de Piracicaba e região reforçou ainda mais os conhecimentos desses profissionais em relação às duplicatas virtuais e à nota fiscal eletrônica. Estes foram os temas do treinamento realizado pelo SINFAC-SP no dia 11 de agosto. “O setor tem buscado constante conhecimento sobre estas […]

Continue a ler

STJ afasta relação de consumo na atividade de factoring

» Leia o artigo na íntegra, em PDF

Continue a ler